segunda-feira, 10 de maio de 2010

Consequencias do Movimento de Rotação

Este movimento da Terra em volta do seu eixo imaginário tem as suas conseqüências.

• A sucessão dos dias e das noites (se a Terra não girasse, era sempre de dia, na parte virada para o Sol, e sempre de noite, na parte escura).
• O movimento aparente do Sol, durante o dia (Nós falamos em nascer e pôr do Sol, observando o seu movimento ao longo do dia - movimento este que não existe, pois o Sol está fixo no centro do Sistema Solar e a Terra é que roda).
• O movimento aparente das estrelas, durante a noite (pela mesma razão acima).
• A variação da obliquidade dos raios solares, num mesmo lugar, ao longo do dia (ao longo do dia, os raios solares apresentam diferentes inclinações, em relação à superfície da Terra).Sem o movimento da Rotação não haveria vida na Terra, já que este movimento desempenha um papel primordial no equilíbrio de temperatura e composição química da atmosfera.


A velocidade na superfície da Terra varia conforme a latitude. No Equador, ela é extremamente alta e vai diminuindo conforme se aproxima dos pólos. Esse fato faz com que qualquer massa de ar movendo-se livremente (vento) seja desviada quando se desloca sobre a superfície. Este desvio acontece em relação ao solo. A Terra sai de baixo e o vento continua seu trajeto.

Como estamos na superfície da Terra e não percebemos que estamos em rotação, esse efeito é observado como se o vento fizesse uma curva.

Numa carta geral dos oceanos vamos observar que as correntes oceânicas também obedecem essa propriedade. Responsabilizamos a esse efeito o aparecimento de uma força que chamaremos de Coriolis. Portanto, a “Força de Coriolis” é somente uma força aparente, mas o desvio, é um desvio real.

A rotação da Terra (origem da força de Coriolis) e a mudança na direção do vento com a latitude (de Leste nos trópicos e de Oeste em latitudes médias) causam a circulação dos oceanos. Essa circulação acontece no sentido horário no hemisfério norte e anti-horário no hemisfério sul.


A Formação dos ventos na superfície da Terra


Acho que a compreensão geral da formação dos ventos é muito importante para a bagagem dos conhecimentos de um navegador. O vento, que é o deslocamento de uma massa de ar, ocorre quando duas massas de ar de densidades diferentes (pressões diferentes) se interagem. Aparece um fluxo de ar da região da maior pressão para a região de menor pressão até estabilizar as pressões entre essas regiões.

A força que leva o ar de uma alta para uma baixa pressão é chamada força de gradiente de pressão. Esse é o processo inicial de formação dos ventos. Quando o vento começa a tomar velocidade aparece a interferência da rotação da Terra

Se a Terra não girasse, o ar sopraria diretamente da alta para a baixa pressão. Isso realmente ocorre no movimento do ar em pequena escala, mas quando ele se move sobre uma grande distância é desviado devido a rotação da Terra sobre seu eixo.

Ventos Alísios


Os Ventos Alísios são ventos que ocorrem durante todo o ano nas regiões tropicais, sendo muito comuns na América Central. São o resultado da ascensão de massas de ar que convergem de zonas de alta pressão, nos trópicos, para zonas de baixa pressão no Equador, formando um ciclo. São ventos úmidos, provocando chuvas nos locais onde convergem. Por essa razão, a zona equatorial é a região das calmarias equatoriais chuvosas.
O Alísio de hemisfério Norte sopra de Nordeste para Sudoeste, enquanto o do hemisfério Sul sopra do Sudeste para o Noroeste.
A sua influência é mais marcante no clima de regiões costeiras e de baixa latitude, exercendo grande importância na meteorologia insular.
Os ventos regulares que durante o ano sopram regularmente de NE no hemisfério Norte e do SE no do Sul. A partir dos 30º vão diminuindo de intensidade em direção ao Equador até se extinguirem formando ali a zona de calmarias equatoriais.
Os contra-alísios sopram do Equador para os trópicos, em altitudes elevadas.
Os contra-alísios são ventos secos e os responsáveis pelas calmarias tropicais secas que geralmente ocorrem ao longo dos trópicos.
Os maiores desertos da Terra encontram-se junto a essas zonas atravessadas pelos trópicos.
Os ventos contra-alísios ocorrem em duas faixas do globo divididas pela linha do Equador, e se formam pelo aquecimento do ar junto à região equatorial. Estes ventos secos dissipam a cobertura de nuvens, permitindo que mais luz do Sol aqueça o solo. A maioria dos grandes desertos da Terra está em regiões cruzadas por ventos contra-alísios. O maior deserto do nosso planeta, o Saara, no norte da África, que já experimentou temperaturas de 57°C, é um deserto de ventos contra-alísios.

Um comentário: